"Conseguimos aprender a voar como os pássaros e a nadar como os peixes, todavia não conseguimos aprender a simples arte de viver como irmãos." - Martin Luther King

domingo, 4 de julho de 2010

Role-Playing (Jogos de Papéis ou Dramatização)

Consiste em representar uma determinada situação real, cujas pessoas envolvidas vão vivenciar essa mesma problemática.

Objectivos:

  • fazer entender aos participantes que existem outros papéis sociais para além dos seus;
  • desenvolver nos participantes a sua capacidade de compreensão e de adaptação;
  • preparar e potenciar nas pessoas envolvidas a capacidade de solucionar problemas que irão surgir mais tarde.

roleplaying

Exemplo:

Planificação da Actividade

Tema

População Sénior e Respectivas Famílias

Título

Amor sem Obstáculos

Caracterização dos Participantes

1 Idoso do sexo masculino (75 anos) que recebe uma pensão; 3 elementos (1 homem de 52 anos; 1 mulher de 50 anos; e 1 homem de 26 anos, filho do casal anterior) da sua família dependentes da pensão do idoso. Todos eles desempregados a receber o Rendimento Social de Inserção (RSI). Esta família é residente na área metropolitana do Porto (Gondomar).

Diagnóstico

Idoso alvo de violência física e psicológica por parte da respectiva família. Possível reencaminhamento do idoso para instituições sociais. Contudo, a restante família depende do rendimento económico do idoso.

Objectivos
  • Objectivo Geral – mudar a atitude por parte da família quanto aos maus-tratos infligidos ao idoso, resolvendo a situação de conflito.
  • Objectivos Específicos – Elevar a auto-estima no idoso; estimular a auto-avaliação e respectiva compreensão dos familiares do idoso sobre os seus actos de violência para com este.
Descrição da Actividade

1. Técnica de grupo a utilizar: Role-Playing

2. Apresentação da actividade, explicando o decorrer da sua acção em duas fases;

3. Numa primeira fase, o idoso utiliza a caixa branca com as letras e com os cartões coloridos para demonstrar como caracteriza os seus familiares; o mesmo processo acontece com o representante da família que, neste caso será o elemento masculino mais velho, vai caracterizar o idoso.

4. Após esta fase, procede-se à segunda fase desta dinâmica;

5. Na segunda etapa, irá haver uma inversão de papéis. O idoso irá desempenhar o papel de representante da família (o adulto masculino mais velho) e o homem com 52 anos irá interpretar o idoso. A cena que irá decorrer será o momento em que a família pretende apropriar-se da reforma do idoso para seu benefício próprio. Neste acto de representação pretende-se recriar acções de conflito grupal, destacando-se a violência verbal, causando danos psicológicos, e a violência física, embora de forma atenuada.

6. Posto isto, proceder-se-á a uma discussão entre todos os intervenientes acerca dos seus comportamentos e da forma como os podem corrigir, no sentido da harmonia entre famílias.

7. Fim da actividade.

Tempo de Execução
  • 2-3 Minutos para explicitação da actividade;
  • 6-8 Minutos para o decorrer da primeira fase da dinâmica de grupos;
  • 4-5 Minutos para a representação da situação social.
  • 3 Minutos para debate sobre a dinâmica realizada.
Características do Local

Sala de encontro de grupo com mesas dispostas de forma circular ou oval; Boa luminosidade e parede de cor neutra (branca).

Recursos
  • Recursos Materiais – Mesas, cadeiras, caixas de papel brancas, alfabeto em papel e pequenos cartões de papel com várias cores;
  • Recursos Humanos – 1 Educador Socioprofissional
  • Recursos Financeiros – 4 euros para compra de folhas brancas e cartões de várias cores.
Instrumentos de Avaliação

Observação participante durante a execução da dinâmica; entrevista não estruturada no final da actividade.

Documentos

Sem documentos.

Observações

Registo do nível de participação, de motivação e de compreensão tanto do idoso como da restante família face à actividade realizada.

Bibliografia

ANDREOLA; Balduíno A., Dinâmica de Grupo: Jogo da Vida e Didáctica do Futuro, 5ª Edição, Editora Vozes, 1982.

Sem comentários: